Domingo, 8 de Junho de 2008

De Einstein aos Ultimates aos Medicamentos

A teoria da relatividade pode ter revolucionado a Física, mas com todo o devido respeito pelo Einstein, que até parece que andou a fugir da malta Nazi, que a relatividade interfere na transmissão de energia já eu tinha percebido há muito tempo. Quando estou sempre a olhar para ver se uma torrada está pronta, nem em dez minutos está despachada, mas basta deixá-la para ver televisão e em dez segundos está carbonizada. O Einstein ser considerado genial por algo tão básico quanto a sopa arrefecer tanto mais devagar quanto mais pressa tivermos, é culpa desse lobby que mete as pessoas falecidas como "génios". É limpinho. O Van Gogh era um mendigo, como aquele na minha rua que cheira mesmo muito mal e que berra às pessoas, mas bastou morrer para ah, e tal, que grande pintor, sim senhor, muito bem! E que dizer do Galileu, um arruaceiro sempre a sempre a arranjar confusão com a malta dos padres e etc., e agora é abrir uma enciclopédia para estar lá como um dos grandes nomes do milénio e o camandro. Já se sabe que isto sem lobbies não se vai a lado nenhum. Pior que esta malta é aquela para quem qualquer parvoíce dita numa sala de cinema merece ser elevada a grande referência da Humanidade, como por exemplo, que a vida é como uma caixa de chocolates, porque nunca se sabe o que está lá dentro. A quem ache que, ai!, que coisa tão linda, é mesmo poética, recordo que o dia em que a caixa de chocolates não tem chocolates é o dia em que estamos a voltar ao hipermercado para reclamar que aquilo não tem jeito nenhum, que vamos passar a fazer compras noutro sítio, que é por causa daquilo que o país está como está. A não ser, é claro, que o talão das compras esteja no lixo, caso em que ficaremos em casa a resmungar que não tem jeito nenhum, que vamos passar a fazer compras noutro sótio qualquer, que é por causa daquilo que o país está como está. Aqui vai uma peça verdadeiramente brilhante: se há caixa que nos ensina muito acerca da vida, é a caixa de medicamentos.

 

Ainda durante esta semana comprei mais algumas e dei por mim a ler o folheto técnico, e se este folheto se mostrou pródigo em surpresas! Logo a abrir, a constatação que cada comprimido era nem mais que, e estou aqui a transcrever directamente, um "inibidor da bomba de protões". Uma bomba de protões! A última vez que reparei, bombas de protões pareciam assim um nome de um ataque à lá Dragon Ball, e tenho quase a certeza que foi uma dessas que o Thor enviou para o espaço quando os Ultimates andaram à bulha com uns E.T. que queriam fazer coisas feias ao nosso planeta, tipo destrui-lo e assim.

 

Continuei para as contra-indicações, e se não tivesse ido já à farmácia, ia-me sentir na imediata vontade de correr para lá. A lista de efeitos agrestes, indesejáveis e secundários incluía, entre outros, dor de cabeça, tonturas, diarreia, obstipação, dores de estômago, mal-estar, flatulência, erupção na pele, comichão, fadiga, depressão, dor nas articulações, febre, inquietação, sonolência, confusão, alucinações, insónia, perturbações visuais, vertigens, alteração do paladar, perda de apetite, sensação de queimaduras ou picadas, contusão, vermelhidão, excesso de suor, sensibilidade à luz, queda de cabelo, parestesia, tremor, anemia, problemas nos rins, pancreatite, colite, inflamação no fígado, inchaço do peito nos homens, impotência, candidíase, angiodema, e redução dos glóbulos brancos e subsequente redução da capacidade de resistência a infecções. Gostei do pormenor de um medicamento que comprei por uma doença inflamatória intestinal (Crohn) provocar, por si próprio, outra doença inflamatória intestinal (colite), e mais ainda gostei que, após tudo isto, ainda aconselhassem a procura do médico caso surgissem mais sintomas. De certeza que há aqui um lobby entre a malta médica e e farmacêutica, lobby que eu me podia dedicar a brilhantemente destrinçar e desfazer, mas já se sabe que não estando eu morto e falecido, ninguém me ia prestar atenção nenhuma. E é por isso, e apenas por mais nada, que o país está como está.

Etiqueta:
publicado por Rui às 14:04
ligação | comentar
2 comentários:
De Nuno a 25 de Junho de 2008 às 01:12
Eu ligo por estares vivo.

De facto ainda me pergunto como é que um medicamento com tantos e variados efeitos "colaterais" pode ser considerado seguro!

Isso da doença de Chron deve ser uma doença que ameaça a vida!


De florbela a 27 de Março de 2009 às 15:58
Olá Rui,
descobri o crohn há 2 dias, fui operada ao colon em dezembro, a uma estenose, cuja origem se desconheci e agora confirmou-se o crohn, comecei a medicação agora (25-03-2009) e reconheci os efeitos secundários no blog.
A medicação que me foi +prescrita foram salofalk, omeprazan e flagyl.
Mas estou com muitas dores de estomago e a crise de diarreia ainda aumentou. qual foi a tua experiência?
Florbela


Comentar post

Março 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

29
30
31


Pesquisar

 

Arquivos

Março 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Maio 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Artigos recentes

assim a modos que daquela...

coisas em que não se pens...

também é verdade

os anéis no céu

P.A.C. Man

no trabalho

emoções

à procura...

#1

intenções

RSS

:.