Domingo, 28 de Março de 2010

assim a modos que daquelas coisas

Há um episódio do Texas Ranger no qual o Walker é atacado por um urso, e sendo esta série uma ode masturbatória às capacidades bélicas do Chuck Norris, supõe-se que o bicho não está ali para um abraço mimoso à Ursinhos Carinhosos, e que rapidamente vai partir para cima do ranger e ser pulverizado em pó por um único e extraordinariamente poderoso pontapé rotativo. Reflectia eu que seria indubidavelmente assim, quando o Chuck derrota o urso com um único olhar fixo.

...

Antes de continuar, vou confirmar o atrás descrito, só para terem a certeza que o vosso cérebro não foi catapultado para o espaço sideral: ao ser atacado por um bicharoco com força para lhe arrancar a cabeça à patada, o McQuade não contra-ataca com uma caçadeira ou com o referido rotativo, suponho que pelo facto do rotativo do Chuck Norris ser uma demonstração de energia em tudo superior aquele flato inconsequente do Big Bang e que encontra paralelo somente no rotativo em esparregata do Van Damme, e é por isso que estas duas almas nunca se encontraram em filme, com as insofismáveis provas científicas a demonstrarem que os dois estarem na mesma sala seria o suficiente para destruir todo o Universo... Mas com um olhar fixo!

Foi a partir desse momento que cresceu em mim o superior objectivo de Vida de conseguir, não reproduzir sine qua non, só para enfiar aqui uma expressão em latim que dá a ideia de ser um gajo todo culto e espectacular, o olhar fixo do Chuck Norris, objectivo esse claramente muito acima das minhas, ainda assim consideráveis, capacidades, que isto do Chuck Norris sabe-se que basta olhar por mais de dois segundos para qualquer pessoa, objecto ou animal para todas as donzelas num raio de cinquenta quilómetros perderem a virgindade, mas reproduzir em qualquer outra pessoa, ipso facto, o mesmo efeito de abandono e perplexidade que o pobre do bicho sentiu. E após uma prolongada estadia na Lusitânia americana, i.e., o Brasil, consegui.

Não sei quem inventou essa patranha do turismo ser uma alavanca para a simbiose da História, Cultura e Tradição, dos países e respectivos povos, provavelmente o mesmo génio de marketing que nos tenta há anos convencer que os coldplay são uma banda de música, porque a acreditar em toda a gente, o único interesse noutros países e respectivos povos é saber se as naturais do país são jeitosas/bonitas/engraçadas/boazonas, ou outro adjectivo equivalente. E também não sei quem inventou a patranha da grande beleza e sensualidade da mulher brasileira, provavelmente o mesmo gajo dos coldplay, que confundiu o catálogo da Victoria's Secret com um postal do Rio de Janeiro, porque as mulheres brasileiras são, globalmente falando, e numa palavra, feias. E é aqui que alcanço esse objectivo tão profundo a que me submeti, ao revelar que, na verdade, e ao contrário do que a Globo, Record e Playboy nos impingiram, as canarinhas são, em duas palavras, muito feias, e assisto ao abandono e perplexidade no rosto de quem comigo parlamenta. A sério?!, perguntam. A sério, respondo.

Não é polémico afirmar que o Brasil é um caldeirão genético francamente fodido de sementes indígenas, europeias e africanas, e esperar que de tamanha mistelga saia algo de jeito, é o mesmo que largar um elefante com o cio no meio de uma loja de tintas com todo o catálogo da CIN, e esperar que da criatividade do animal saia um novo retrato da Mona Lisa. Os taradinhos da Criação podem berrar que nisto dos seres humanos quem mais ordena é Deus, e que Deus não falha e que por isso somos todos tão bonitinhos, mas é passar os olhos pela Bíblia para perceber que lá o Todo Poderoso se pode considerar um Cristiano Ronaldo da Vida, i.e., sou tão bom, sou mesmo o melhor, não existe ninguém como eu, e etc., mas quem olhe para a desgraça em que anda o mundo topa logo que o Jeová é no máximo um daqueles jogadores da bola que por uma vez lá se lembra de fazer um chapéu ao guarda-redes, jogada da qual nem sabe como fez, passando o dia seguinte a ser entrevistado por todos os taradinhos da Comunicação Social como se fosse a segunda vinda de Cristo e o resto da vida a ser sumariamente ignorado.

Suponho que após duas semanas no outro lado do mundo devia haver mais experiências a relatar que somente a volumetria, elasticidade e capacidade de resistência à gravidade dos seios brasileiros, imagino que haja aquilo da História, Cultura e Tradição, mas essas são coisas fundamentalmente mariquinhas que precisam de tempo e conhecimento técnico específico para serem devidamente desfrutadas, e que ainda por cima não se prestam a explicações fáceis. Tudo isto enquanto um par de seios pode, e deve, ser universalmente apreciado em todos os meus múltiplos pontos de fascinio. E depois, nada me garante que quem me recorde a história do seu povo e país faça alguma ideia do que está para ali a falar. Se perguntarem a um português quem foram os Habsburgo, é provável que se meta a a falar em alguma equipa alemã cilindrada pelo Benfica esta época, e não naquelas gentinhas que aqui há alguns séculos andaram a fazer caca pelo país até serem postas a correr daqui para fora, o que simboliza não mais que a mais retumbante derrota de todas as sucessivas políticas de Educação deste país. Que esse português não saiba da História de Portugal e de quem foram os Habsburgos, é-me igual, agora que não saiba que os cilindrados pelo Benfica este ano foram os ingleses do Everton e as francesas do Marseille, e não nenhuns alemães, isso é imperdoável. Isso é gente de ralé baixa. É gente que devia ser enfiada numa masmorra a sofrer um castigo doloroso e cruel. Como um olhar mesmo muito fixo do Chuck Norris. Alea jacta est!

publicado por Rui às 23:24
ligação | comentar | comentários (2)

Março 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

29
30
31


Pesquisar

 

Arquivos

Março 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Maio 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Artigos recentes

assim a modos que daquela...

coisas em que não se pens...

também é verdade

os anéis no céu

P.A.C. Man

no trabalho

emoções

à procura...

#1

intenções

RSS